SEJA BEM - VINDO... FOI FUNDADA NO DIA 11 DE OUTUBRO DE 2008. O E-MAIL DE CONTATO É: respirandocarnavalag@gmail.com ou respirandocarnavalag@bol.com.br

MENU



AGENDA DA SEMANA DO BLOG RESPIRANDO CARNAVAL:

AGENDA DA SEMANA DO BLOG RESPIRANDO CARNAVAL:
NÃO TEM AGENDA PROGRAMADA AINDA.



OBS: ENTRE CONTATO CLICA AQUI E BASTA PREENCHER OS DADOS E PASSA A AGENDA AS INFORMAÇÕES DA SUAS ESCOLAS DE SAMBAS PRA NÓS POSTAR.

FINAIS DE SAMBA-ENREDO DOS GRUPOS ESPECIAL E SÉRIE A:

ACOMPANHA NO BLOG RESPIRANDO CARNAVAL E NA WEB RÁDIO RESPIRANDO CARNAVAL AO VIVO, TUDO SOBRE A GRANDES FINAIS DE SAMBA DE ENREDOS DOS GRUPOS ESPECIAL E DA SÉRIE A 2017 DO RIO DE JANEIRO, COM AS PARCEIRAS O PORTAL CARNAVAL CARIOCA E SITE CARNAVALESCO.
http://www.respirandocarnaval.blogspot.com.br//p/radio-carnaval-carioca-ao-vivo.html http://www.respirandocarnaval.blogspot.com.br//p/radio-carnavalesco.html

OUVE Á RÁDIO 1 E A RÁDIO 2:

CONFIRA O CALENDÁRIO DA SÉRIE A PRA O CARNAVAL 2017 DO RIO DE JANEIRO:
SETEMBRO:
DIA 01 – UNIÃO DO PARQUE CURICICA (QUINTA-FEIRA
) -
RÁDIO 1
DIA 02 – UNIDOS DO PORTO DA PEDRA (SEXTA-FEIRA) - RÁDIO 1
DIA 03 – ACADÊMICOS DA ROCINHA (SÁBADO
) - RÁDIO 1
DIA 04 – ALEGRIA DA ZONA SUL (DOMINGO
) - RÁDIO 1
DIA 06 – ACADÊMICOS DO CUBANGO (TERÇA-FEIRA
) - RÁDIO 1
DIA 07 – IMPÉRIO DA TIJUCA (QUARTA-FEIRA
) - RÁDIO 1
DIA 09 – ACADÊMICOS DE SANTA CRUZ / ESTÁCIO DE SÁ / UNIDOS DE PADRE MIGUEL (SEXTA-FEIRA
) - AINDA NÃO FOI DEFINIDA
DIA 10 – UNIDOS DO VIRADOURO / RENASCER DE JACAREPAGUÁ (SÁBADO
) - AINDA NÃO FOI DEFINIDA
DIA 11 – INOCENTES DE BELFORD ROXO (DOMINGO
) - AINDA NÃO FOI DEFINIDA
DIA 12 – IMPÉRIO SERRANO (SEGUNDA-FEIRA
) - AINDA NÃO FOI DEFINIDA
O BLOG ESTAR SEMPRE ATUALIZADO EM HORA EM HORA COM MUITAS INFORMAÇÕES. APERTAR O SEU TECLADO F5.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

É HOJE GRANDE FINAL DE SAMBA DE ENREDO DA SÉRIE A NO RIO

É HOJE GRANDE FINAL DE ESCOLHA DE SAMBA DE ENREDO PARA O CARNAVAL 2017 NA SÉRIE A NA MARQUÊS SAPUCAÍ, PODERÁ ACOMPANHAR NO BLOG RESPIRANDO CARNAVAL CONJUNTO COM A WEB RÁDIO RESPIRANDO CARNAVAL E DA PARCEIRA COM A RÁDIO CARNAVALESCO E ACOMPANHA TUDO AO VIVO. A ESCOLA DE NITERÓI ABRE O CALENDÁRIO DE FINAIS DE SAMBA DA SÉRIE A, NESTA SEXTA COM QUATRO OBRAS NA GRANDE FINAL. ATÉ O DIA 12 DE SETEMBRO AS 14 AGREMIAÇÕES DO GRUPO DEFINEM SEUS HINOS OFICIAIS PARA O CARNAVAL 2017. ACOMPANHA EM TODAS QUADRAS O PERÍODO DAS FINAIS DE SAMBA DO ACESSO. A TRANSMISSÃO PELA RÁDIO CARNAVALESCO COMEÇARÁ POR VOLTA DA MEIA NOITE, E FIQUE LIGADINHO.

Continue Lendo...

Série A chega nas Finais de Samba com Média de Sete Obras por Escola e Tenta Repetir Sucesso

Na Série A do carnaval carioca quantidade não é qualidade a julgar pelo que tem passado na avenida nos últimos anos. Em um primeiro momento pode parecer ruim que apenas 103 obras tenham sido inscritas ao todo nas 14 agremiações do grupo, rendendo uma média de apenas sete sambas por escola. Entretanto, os recentes carnavais da Série A tem demonstrado uma safra de alta qualidade, desde que o grupo passou a ser gerido pela Lierj, em 2013.


Sempre adiantada em seu planejamento dos desfiles, a Lierj deu até o próximo dia 12 de setembro para as agremiações escolherem seu hino oficial rumo ao Carnaval 2017. Uma verdadeira maratona de finais tem início nesta sexta, com a final do Acadêmicos do Sossego. O Site CARNAVALESCO vai cobrir as 13 escolhas do grupo, já que a Renascer de Jacarepaguá pelo quarto ano seguido opta por realizar uma encomenda de samba-enredo.

O jornalista Fábio Fabato compreende como motivos principais as boas safras do grupo a boa gama de enredos mais autorais que possibilitam sinopses mais inspiradas e também a presença de tradicionais agremiações que já venceram carnavais no Especial.

- Nos últimos anos, talvez pelo domínio de enredos autorais – já que os mecenas esbanjadores miram mais as escolas do Grupo Especial, - o Acesso tem revelado safras boas. A obra da Viradouro de 2016, por exemplo, foi marcante, assim como a Renascer de Jacarepaguá, a despeito do sacrifício de sua ala, algo com o qual não concordo, tem nos brindado com excelentes obras. A presença de escolas tradicionais no Acesso, como Império Serrano, a própria Viradouro e Estácio, conhecidas por grandes obras, também ajuda a engrandecer as safras. O Império não subiu nos últimos anos, mas a ampla maioria das suas obras é destaque nos discos do Acesso, por exemplo. Além disso, nada mais natural do que este grupo permitir experimentações de toda natureza, o que pode fazer o bolo solar com ousadias esquizofrênicas, mas sobretudo contribuir com obras marcantes. Fica o desejo por uma gravação convencional este ano, sem os arranjos absolutamente grosseiros do carnaval passado - destaca.

O Site CARNAVALESCO fez um levantamento nas inscrições de sambas de cada agremiação da Série A. Nossa equipe esteve nas quadras e barracões no dia das inscrições e abaixo você confere o número de obras inscritas em cada escola.

Alegria da Sul - 7 sambas
Cubango - 9 sambas
Curicica - 4 sambas
Estacio - 7 sambas
Império Serrano - 15 sambas
Império da Tijuca - 11 sambas
Inocentes de Belford Roxo - 8 sambas
Poto da Pedra - 5 sambas
Rocinha - 7 sambas
Santa Cruz - 7 sambas
Sossego - 8 sambas
Unidos de Padre Miguel - 6 sambas
Viradouro - 9 sambas
Total: 103 sambas
Media: 7,35 sambas

Confira abaixo o calendário das finais de samba da Série A para o Carnaval 2017:
http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18363/finais1.jpg

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Compositor David Corrêa Conta que Foi Retirado da Parceria de Luiz Carlos Máximo na Portela

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18351/david_correa.jpg
A polêmica envolvendo a saída da parceria de Luz Carlos Máximo da Portela continua. O Site CARNAVALESCO apurou e o compositor David Corrêa confirmou que inicialmente ele era parte da parceria, mas mentiras e confusões, segundo ele, fizeram com que tudo mudasse. Aos 75 anos, quase 60 deles vividos no samba, sendo 48 deles na Portela, David contou como ele se juntou a esses compositores e o que o fez sair.
 
- Tudo começou com uma homenagem que aconteceu na Portela e ao fim, eu muito emocionado, porque foi bem bonita, um dos membros dessa parceria, que por respeito não direi o nome, se apresentou para mim como um dos idealizadores da homenagem, e acabamos nos conhecendo, ele me conquistando "no papo". Naquele momento eu não sabia, mas estava caindo numa arapuca - disse David.
 
LEIA AQUI
* Marcos Falcon explica corte de samba de Luiz Carlos Máximo na Portela: 'Não seria ético'
 
* 'Não sou hipócrita de fazer samba e não assinar', revela Luiz Carlos Máximo

 
Segundo David, depois desse dia, ele foi apresentado aos demais membros da parceria em encontros informais, com o intuito apenas de se conhecerem, uma vez que ele não conhecia ninguém do grupo. O tempo passou e a parceria não marcou nenhuma reunião de trabalho - pelo menos era o que David achava -, mas a surpresa veio no dia do tira-dúvida com o carnavalesco da Portela.
 
- Eu estava preocupado, sem saber se alguém da parceria apareceria lá, e eu fui para saber o que o carnavalesco podia esclarecer, conversar com ele, levei algumas sugestões de versos que, inclusive, eu mostrei ao carnavalesco. Mas quando cheguei lá, qual não foi a minha surpresa, os meus "parceiros" estavam lá com uma letra pronta. Eles ficaram um pouco desconcertados em me ver, e eu fiquei completamente surpreso. Eles se reuniram sem me falar nada. Vi a letra deles, eles viram o que eu tinha levado, e se justificaram dizendo que aquilo ali eram só "alguns versos de bastidores", nada pronto. E apesar de eu não ter participado dessa confecção do samba, meu nome ainda constava na parceria.
 
Foi a partir daí que as coisas desandaram. David Corrêa continuou assinando com a parceria, mas sem participar da composição do samba, o que culminou na sua saída do grupo.
 
- Eu dei um ultimato e pedi para sair. Não concordei com o samba deles. Mas aí eles para, acredito eu, saírem por cima, ficaram autoritários e me tiraram por conta deles, meio que querendo dar a última palavra. Na prática, eu fui dispensado então saí - afirmou o compositor.
 
Só que as surpresas e as polêmicas não pararam por aí. O samba que a parceria de Luiz Carlos Máximo, Gustavo Henrique, Flavio Viana, Charles Braga, Camilo Jorge, Valtinho Botafogo, Gustavo Albuquerque, Rafael Cavaliere, Júnior Falcão e Thiago Gotelip inscreveu possui versos que David Corrêa alega serem de sua autoria.
 
- No fim eu estava fora da parceria, mas meu trabalho não, porque eles usaram trechos meus no samba, mas encaixaram de qualquer jeito lá, deslocada. Minha ideia inicial era algo como: "Corre, corre, ribeirinha/ Chuá, chuá/ Entre pedras e cascatas / Oh luar", falando da coletividade dos rios. Mas é aquela história que só quem é compositor experiente sabe: a música nasce com a letra, e tem que ter sentimento. Eu sei disso porque tenho sambas como "Macunaíma", que foi cantado no encerramento do maior espetáculo da Terra, e isso poucos possuem - disse ele, se referindo a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos.
 
- Eu tenho sambas como esse, "Macunaíma", ou "Oiá, Oiá, água de cheiro pra ioiô", no Salgueiro, e na própria Portela, com "E lá vou eu, pela imensidão do mar/ nessa onda que corta a avenida de espuma, me arrasta a sambar", enfim, tenho história, e essa "molecada dente de leite" ainda precisa ter.
 
Além da parceria ter sido impugnada por infringir o regulamento, David Corrêa acredita que a confusão ocorrida com ele também contribuiu para isso.
 
- Eu fiquei frustrado demais com tudo o que aconteceu, porque a Portela estava preparada para ouvir um samba meu, ouvir o que eu tinha para fazer, e percebi que a escola ficou frustrada com minha saída. Então eu acho que a escola usou do mesmo "naipe" com eles, foram rigorosos e usaram a turbulência que já havia para preservarem alguém - eu -, que realmente faz parte da escola, e confesso que eu fiquei feliz com isso.
 
David ainda disse que não concorda com compositores que assinam samba em mais de uma escola já que, segundo ele, um bom samba tem que ter "emoção", e ela surge do envolvimento do compositor com a agremiação.
 
- A verdade é que já era para a escola ter feito isso há muito tempo, porque você vê principalmente cantores famosos, que estão na mídia, que fazem parte de algumas parcerias, colocarem samba em diversas escolas, e eu acho isso errado, assim como acho errado e até confuso você inscrever o samba e não assinar. Eu não concordo com isso. Pra mim isso é uma forma de pirataria. Mas eu acho que os membros dessa parceria me atormentaram, me infernizaram, só para ter o prazer de poder dizer que são compositores, mas isso jamais fará deles compositores. Samba fabricado não é sentimental. Só estando realmente na escola que você faz um samba com amor, porque você não faz pensando no dinheiro que vai ganhar, mas sim pensando na escola. Já compus para Mangueira, Vila, mas quando fiz lá, foi só para lá. Eu era parte da escola, e só daquela escola.
 
Apesar do ocorrido, David afirmou que não vai parar de compor sambas, e já está pensando no próximo ano.
 
- Eles fizeram uma sacanagem, mas eu vou continuar compondo e vou tentar de novo por amor à escola. Eu dei bobeira e me deixei levar pela conversa e recusei um convite da parceria de uma amigo, Carlinhos Madureira, mas no ano que vem não recusarei, e quero muito estar com ele, compondo. Até porque eu não vou parar porque eu fui levado para a escola por mérito, por Candeia, Natal. Eu tenho história na escola.
 
'Nunca estive no barracão da Portela. Fui procurado pela parceria após o rompimento deles com o David', afirma Máximo
 
Procurado pela equipe do CARNAVALESCO o compositor Luiz Carlos Máximo declara que em nenhum momento esteve no barracão da Portela para tirar dúvidas com o carnavalesco Paulo Barros e que foi a parceria quem o procurou para participar do samba. Ainda segundo Máximo ele condicionou essa participação à ausência de David Correa.

- Fui procurado por eles sim e em um primeiro momento afirmei que não colocaria samba na Portela por falta de estrutura para a disputa. Eles me disseram que já tinham tudo, cantor, estúdio. Me afirmaram que haviam rompido com o David Corrêa. Eu decidi entrar mas deixei claro o tempo todo que não assinaria junto com ele. Eles me garantiram que ele já estava fora. Me mostraram um samba, eu escutei e coloquei a minha forma de compor, o meu estilo. Em nenhum momento estive com Paulo Barros no barracão da Portela - sacramenta.

Parceiro de Máximo desmente David Correa: 'Ídolo genioso difícil de trabalhar'
 
A reportagem do CARNAVALESCO ouviu Rafael Cavalieri, um dos integrantes da parceria que deu sua versão depois das declarações de David Correa. Segundo Cavalieri não há uma linha melódica ou na letra do samba inscrito na Portela por eles que tenha sido feita por David Correa. Ele ressalta que o experiente compositor é um ídolo para todo jovem mas que trabalhar com ele se tornou insustentável. Ele relata uma trama de chantagens e ameaças que culminaram na exclusão de David do grupo e na procura por Luiz Carlos Máximo.

- O David Correa foi procurado pelo Gustavo Henrique durante a homenagem na Portela. Mostrou que era uma oportunidade para ele voltar. Foi formada a parceria, eu sou fã dele, a possibilidade de compor com ele era um sonho. Mas começaram a acontecer certas atitudes que foi minand a relação. Fazíamos reuniões sim. Ocorre que maioria dos compositores tem trabalho. O David queria reuniões em horarios inacessíveis. Ele começou a fazer chantagem. Tudo que não havia concordância ele ameaçava sair. O David apresentou uma letra muito bonita, mas não se enquadrava em vários aspectos do enredo. Tentamos fazer alterações, mas ele não queria. É uma parceria, mas ele queria fazer tudo sozinho. Só queria compor em bar, sem seriedade. Começamos a perceber que as reuniões eram para ele cantar o mesmo samba sempre. Queríamos mesmo assim manter o sonho de compor com ele. No momento de apresentar para o Paulo Barros, bolamos alguns mudanças para adequar a sinopse. Ele marcou 12h com o carnavalesco sem avisar e descobrimos. Chegando lá o Paulo alertou dos problemas e mudanças necessárias. Tínhamos um prazo. Tentamos convencer o David e ele não aceitou, e novamente ameaçou, não cedemos e ele decidiu sair. Ligou para outros compositores na nossa frente, dizendo que não conhecíamos nada. Passou a nossa letra alterada em cima da dele e mostrou a outros. Procuramos então o Luiz Carlos Máximo e ele deu o acabamento, a marca dele. Esse foi o samba apresentado, não tem um verso, uma melodia do David. Durante todos esses dias ele nos ligou pedindo para voltar. É muito triste. Ninguém tira a história dele no carnaval, seus sambas marcantes, mas não foi possível trabalhar com ele - definiu Cavalieri.

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

'Não Sou Hipócrita de Fazer Samba e Não Assinar', Revela Luiz Carlos Máximo

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18340/maximo.jpg
Nem bem começou e a disputa de sambas da Portela já causa uma enorme polêmica. O samba da parceria de Luiz Carlos Máximo foi impugnado por descumprir o regulamento interno da ala que impede um compositor de assinar uma obra em outra agremiação do Grupo Especial. A reportagem do CARNAVALESCO procurou o compositor Luiz Carlos Máximo que disse discordar da decisão da ala e revelou que não faz parte de seu feitio fazer samba e não assinar.

- Respeito a decisão da coordenação mas não concordo. A Portela tem história de vanguarda e perdeu a oportunidade de encerrar com uma hipocrisia. Vários compositores colocam samba e não assinam. Foi me dito na reunião que se eu não assinasse, o samba estaria inscrito. Só não pode assinar? Isso é hipocrisia. Fui verdadeiro e fui punido junto da parceria. Sempre agi com transparência e verdade. Não estou julgando ninguém, mas não é meu feitio fazer samba sem assinar. Usaram de um regulamento. Porquê não vetaram no ato da inscrição? - questiona.


O compositor externou sua admiração pelo presidente Marcos Falcon, que segundo ele pensou no bem da escola, uma vez que os sambas de Luiz Carlos Máximo têm sido ano após ano elogiado por público e crítica.

- Ele acolheu a minha solicitação com o maior apreço, que eu era um portelense, compositor querido e que ficaria satisfeito. O Marcos Falcon pensou na escola, não tenho nenhuma dúvida. Ele queria qualidade, pois os sambas da minha parceria apresentaram satisfação e os que venceram trouxeram notas máximas nos desfiles - lembra.

Ele questiona a presença de alguns membros do corpo julgador, que segundo ele votam contra suas composições de maneira sistemática.

- Tem algumas coisas que eu realmente não entendo. Tem gente no juri que sempre vota contra o meu samba. É uma constante. Já ganhei 40 pontos, Estandarte de Ouro, Estrela do Carnaval e todo ano votam contra. Não gostar de um ou outro tudo bem, mas de nenhum? Isso deve ter em outras escolas também. Não acho que sou desprestigiado. Sou muito querido de muita gente e esse meu jeito talvez incomode. Eu mostro mesmo que rei está nu, isso acaba sendo polêmico. Discuto os escritórios, questiono a forma da disputa, a atitude de compositores que fazem samba e não assinam. Vou contra o status quo - finaliza Luiz Carlos Máximo.

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

Marcos Falcon Explica Corte de Samba de Luiz Carlos Máximo na Portela: 'Não Seria Ético'

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18336/portela.jpg
A parceria dos compositores Luiz Carlos Máximo, Gustavo Henrique, Flavio Viana, Charles Braga, Camilo Jorge, Valtinho Botafogo, Gustavo Albuquerque, Rafael Cavaliere, Júnior Falcão e Thiago Gotelip foi impugnada da disputa de sambas da Portela para o Carnaval 2017. O motivo da desclassificação foi uma infração do regulamento da ala de compositores, que impossibilita que um compositor assine outro samba em alguma agremiação co-irmã do Grupo Especial. Máximo inscreveu um samba na São Clemente.

A decisão foi tomada pelo presidente da Portela, Marcos Falcon, que atendeu uma solicitação da ala de compositores que alegou a irregularidade e deixou nas mãos dele a decisão. A reportagem do CARNAVALESCO apurou que Máximo teria arguido Falcon acerca da possibilidade dele inscrever também na Portela e que a resposta havia sido positiva. O presidente explica à nossa reportagem que o erro foi seu.

- Eu me equivoquei em liberá-lo, já que eu tive um lapso esquecendo-me que o compositor não pode disputar na Portela junto de outra escola do Grupo Especial. Por isso me comprometi a arcar com as despesas de gravação que a parceria teve. Mas o samba não tem condições de seguir em nossa disputa, não seria ético. Por se tratar de um grande compositor e portelense eu acabei deixando passar naquele momento - resumiu o presidente.
 
Jane Garrido, presidente da ala de compositores, esclareceu como funciona o regulamento e que a escola agiu com correção em cortar a obra ainda na "fita".

- Cada escola tem a sua forma de trabalhar. A Portela não permite que seus compositores participem de disputas em agremiações do mesmo grupo. O samba poderia sequer não ter sua inscrição aceita. Mas como se trata de uma questão séria deixamos a decisão para o presidente da escola. Apenas passamos que a posição da ala de compositores era pela exclusão - garantiu.

Luiz Carlos Máximo revela: 'Não sou hipócrita de fazer samba e não assinar'

A reportagem do CARNAVALESCO procurou o compositor Luiz Carlos Máximo que disse discordar da decisão da ala e revelou que não faz parte de seu feitio fazer samba e não assinar.

- Respeito a decisão da coordenação mas não concordo. A Portela tem história de vanguarda e perdeu a oportunidade de encerrar com uma hipocrisia. Vários compositores colocam samba e não assinam. Foi me dito na reunião que se eu não assinasse, o samba estaria inscrito. Só não pode assinar? Isso é hipocrisia. Fui verdadeiro e fui punido junto da parceria. Sempre agi com transparência e verdade. Não estou julgando ninguém, mas não é meu feitio fazer samba sem assinar. Usaram de um regulamento. Porquê não vetaram no ato da inscrição? - questiona.

O compositor externou sua admiração pelo presidente Marcos Falcon, que segundo ele pensou no bem da escola, uma vez que os sambas de Luiz Carlos Máximo têm sido ano após ano elogiado por público e crítica.

- Ele acolheu a minha solicitação com o maior apreço, que eu era um portelense, compositor querido e que ficaria satisfeito. O Marcos Falcon pensou na escola, não tenho nenhuma dúvida. Ele queria qualidade, pois os sambas da minha parceria apresentaram satisfação e os que venceram trouxeram notas máximas nos desfiles - lembra.

Diante do imbróglio que envolve o seu nome o compositor Luiz Carlos Máximo questiona a presença de alguns membros do corpo julgador, que segundo ele votam contra suas composições de maneira sistemática.

- Tem algumas coisas que eu realmente não entendo. Tem gente no juri que sempre vota contra o meu samba. É uma constante. Já ganhei 40 pontos, Estandarte de Ouro, Estrela do Carnaval e todo ano votam contra. Não gostar de um ou outro tudo bem, mas de nenhum? Isso deve ter em outras escolas também. Não acho que sou desprestigiado. Sou muito querido de muita gente e esse meu jeito talvez incomode. Eu mostro mesmo que rei está nu, isso acaba sendo polêmico. Discuto os escritórios, questiono a forma da disputa, a atitude de compositores que fazem samba e não assinam. Vou contra o status quo - finaliza Luiz Carlos Máximo.

A Portela tem em sua disputa o compositor Noca da Portela que também assina uma obra em outra agremiação. Entretanto, o samba foi inscrito na Alegria da Zona Sul, que é da Série A, o que não infringe as regras da ala de compositores da azul e branca de Oswaldo Cruz e Madureira.
 
FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

domingo, 21 de agosto de 2016

Versão Japonesa da Mangueira Desfila no Carnaval do Japão

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18283/IMG-20160820-WA0008.jpg
O Brasil e o Japão estão unidos no carnaval. A atual campeã do carnaval carioca, a Estação Primeira de Mangueira possui laços afetivos com a sua 'filial' a escola de samba Saúde, que desfila no carnaval da Associação das Escolas de Samba de Asakusa, no Japão, que começa no início dessa semana.

A Verde e Rosa estará representada na cidade de Yokohama pelo primeiro mestre-sala Matheus e pelo ex-presidente Álvaro Luiz Caetano, o Alvinho, que também fará uma palestra na próxima quinta-feira para os japoneses sobre a Mangueira, o carnaval do Rio de Janeiro e a experiência com a produção durante 6 anos pela AMI7 do carnaval argentino em San Luis.

Na foto acima, o ex-presidente Álvaro Luiz Caetano, em solo japonês, está com os integrantes da escola de samba Saúde/Mangueira.

Em 2015, a Saúde fez um enredo homenageando seus 30 anos e a própria Estação Primeira de Mangueira, conquistando o título do evento que acontece sempre no último fim de semana de agosto.

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Imperatriz Capricha no Visual e Faz Bela Apresentação no Parque Madureira

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18249/cantor_imperatriz.jpg
No início da segunda semana de apresentações das escolas de samba no Parque Madureira, coube a rainha de Ramos animar a segunda-feira dos presentes. O intérprete Arthur Franco iniciou com o samba exaltação da Imperatriz, junto da Swing da Leopoldina, comandada por mestre Lolo. Em seguida, cantou sambas históricos como 'Liberdade, Liberdade', 'Uma Delirante Confusão Fabulística'. A festa ficou completa quando o samba do último carnaval foi cantado e toda comunidade acompanhou.


Com bom número de componentes, as baianas da Leopoldina deram um show a parte com a fantasia do último desfile. E fugindo do padrão das outras escolas, a Imperatriz Leopoldinense levou seus dois casais de mestre-sala e porta-bandeira a caráter, com a indumentária de 2016 completa. O primeiro casal da escola conversou com o Site CARNAVALESCO. Thiaguinho, que assumiu o cargo de mestre-sala há pouco mais de 2 meses, contou a alegria que é ser o mestre-sala da Imperatriz, e foi só elogios para parceira.

- Está sendo uma maratona de verdade, ensaios, apresentações, trabalho, tem que ter pique e muito amor. Estamos fazendo com muita a alegria. O que a gente gosta que é representar o pavilhão da Imperatriz. Tenho uma parceira maravilhosa que é só riso o dia inteiro, é uma maratona de atividades e de sorrisos.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18249/cantor_imperatriz.jpgRafaela Theodoro, indo para seu sétimo ano como porta-bandeira da escola, afirma que é gratificante representar o pavilhão da verde e branca para todo mundo.

- Estamos muito felizes, é um momento único e mágico que estamos curtindo cada segundo. Os dias que não estou trabalhando com as Olimpíadas, eu estou curtindo. Começou pela abertura dos Jogos, que foi uma emoção maravilhosa poder levar o carnaval para milhares de pessoas de vários países. É um momento que será guardado pra sempre, pra história do carnaval e pra nossa história - finaliza.
Responsável pela direção de Harmonia da Imperatriz, Júnior Scafura explicou a ideia de levar seus componentes fantasiados.

- A Imperatriz se sente muito honrada em participar deste evento tão importante que vai ficar para a história do Rio de Janeiro. Viemos bem vestidos e bonitos, primeiro porque o público que estava aqui merecia ver realmente uma escola com vontade, e segundo porque estamos muito felizes por estar vivenciando esse momento. O mundo inteiro está de olho no Rio, nós participamos da abertura, viemos ao Parque Madureira e ainda tem várias apresentações em arenas. Estamos mostrando porque o samba tem que ser sempre o cartão postal da cidade.

Encontro atrai moradores de bairros distantes

Depois de uma estreia não tão adequada no Boulevard Olímpico, o Encontro de Carnavais se firmou de uma vez como principal atração do dia no Parque Madureira e está atraindo cada vez mais pessoas de bairros distantes. Como é o caso de Maria Jacinta, moradora de Copacabana.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18249/baianas_imperatriz.jpg- Sou torcedora da Vila Isabel e do Império Serrano, mas vim prestigiar a Imperatriz. Vim de Copacabana só pra assistir e gostei demais.

Outra torcedora do Império Serrano é Irene Alves, moradora do bairro Coelho Neto, que foi acompanhar o desfile da Imperatriz porque sua filha desfila na escola.

- Vim assistir porque minha filha desfila na Imperatriz, acompanho sempre que possível. Apesar de ser torcedora do Império Serrano gosto de assistir todas desfilando, temos um relacionamento muito bom com o povo da escola. A apresentação foi muito bonita, como sempre. Povo sempre animado e empolgado.

Nesta terça-feira, a festa no Parque Madureira fica por conta da Unidos de Vila Isabel e o bloco Timoneiros da Viola. O evento acontece sempre às 18h.

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

domingo, 14 de agosto de 2016

Rio da Portela Causa 'Inundação de Samba' ao Lado do Bola Preta no Parque Madureira

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18223/falcon.jpg
http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/casal_portela.jpg Na Olimpíada em que os brasileiros encaram sérias dificuldades em jogar diante da torcida a Portela mostrou que dentro do Parque Madureira quem manda é a águia altaneira. O Encontro de Carnavais deste sábado reuniu no local a azul e branca junto do Cordão do Bola Preta. Eram 180 anos de tradição do carnaval carioca ali representados.
 
 
Para fazer bonito diante de sua gente a Portela deu uma goleada no baixo astral desde que o projeto deixou o Centro do Rio. Madureira é terra de bamba, e o que a escola produziu foi um espetáculo digno da grandeza de quem ostenta 21 campeonatos na história. O presidente Marcos Falcon era só alegria ao conversar com a equipe do CARNAVALESCO antes do início da apresentação de sua escola.
 
http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/gilsinho.jpg- A Portela se envaidece muito de promover esta grande festa aqui em nossa casa. Agradecemos muito à prefeitura por mais uma vez possibilitar que o carnaval tenha essa posição de destaque dentro dos festejos que envolvem os Jogos Olímpicos. E a presença do Bola Preta em Madureira é um marco da história do carnaval, pois trata-se de uma reunião entre dois gigantes - resumiu Marcos Falcon, que estava claramente emocionado com a grandiosidade da apresentação da Portela.
 
Jogando em casa e diante de seu povo a Portela entupiu a pista do Parque Madureira com seus componentes, como passistas, velha-guarda, baianas, os ritmistas da Tabajara do Samba, a rainha Patrícia Nery e o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Alex Marcelino e Daniele Nascimento. A dupla revelou o orgulho de ser anfitriã de mais uma festa com a chancela do Rio Olímpico.
 
http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/bola.jpg- É uma grande satisfação poder de novo representar a Portela em um evento organizado pela Riotur, a Prefeitura e trazer o pavilhão para essa gente que vem até aqui para nos aplaudir. Passamos o ano focados em um trabalho massivo de preparação visando a conquista da nota 10 e poder se apresentar nesse mini-desfile traz um pouco de descontração para a gente, faz um bem para a alma - destacou o mestre-sala Alex Marcelino.
 
O Rio que um dia passou na vida de Paulinho da Viola e de tantos outros portelenses que tem na escola um de seus amores foi representado pela inundação de pessoas que tomou o Parque na apresentação da Portela. O intérprete Gilsinho iniciou o show exaltando a escola com seu hino e em seguida 'Portela na Avenida'. Na sequência veio o samba de 2016, Estrela do Carnaval como melhor do Grupo Especial.

No momento de encontro com o Bola Preta a emoção foi inevitável na reunião de duas marcas tão importantes da história do carnaval. A tradicional banda tocou o samba de 1974 da Portela, 'O mundo melhor de Pixinguinha', antes de entoar o 'Cordão da Bola Preta' e 'Cidade Maravilhosa'. O pavilhão da Portela foi oferecido ao presidente do Bola Pedro Ernesto. No momento que todos acreditaram ser o fim da apresentação a escola seguiu até os limites do Parque cantando o samba de 2015. O presidente Marcos Falcon fez questão de abraçar um a um dos componentes que passavam por ele no fim da apresentação.

Portelenses pedem ensaios no local

A Portela costuma realizar seus ensaios de rua na Estrada do Portela, próximo ao Portelão ou na Estrada Intendente Magalhães. Para os portelenses presentes ao Parque Madureira seria uma excelente iniciativa realizar alguns treinos também no Parque Madureira.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/torcida.jpg- O quintal da minha casa dá para os fundos da Portela, vou à quadra com frequência e não iria faltar aqui no Parque Madureira. Portela como sempre fez muito bonito e a comunidade veio completa - destacou Alba César, secretária do lar.

Para a doceira Ana Maria embora o Parque Madureira possua uma vasta programação cultural, ela gostaria de ver mais as escolas de samba no local.

- Amei o desfile, deveria ter sempre e não apenas nas Olimpíadas, foi maravilhoso. Moro em Irajá, aqui pertinho e não podia deixar de vir ver a minha Portela. Estive nos outros dias e hoje foi diferente, a escola deu show - resumiu.

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

sábado, 13 de agosto de 2016

Com Direito a Presidente 'Porta-Bandeira', Salgueiro e Imprensa que eu Gamo Sacodem Parque Madureira

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18221/regina_capa.jpg
http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/musas_sal.jpg
Depois de um sentimento de frustração com a transferência do projeto 'Encontro de Carnavais' do Boulevard Olímpico para o Parque de Madureira, a terceira noite da reunião de uma escola de samba e um bloco do carnaval carioca reuniu duas fortes marcas de nossa folia na Zona Norte. Lado a lado, o Acadêmicos do Salgueiro e o bloco Imprensa que eu Gamo. O encontro se deu na altura dos aros olímpicos instalados no Parque e sacudiu o público presente.


O Salgueiro não economizou e promoveu um mini-desfile no Parque, com direito a baianas, velha-guarda, passistas, muitos ritmistas, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Sidclei e Marcella, os cantores oficiais Serginho do Porto e Leonardo Bessa e a presidente salgueirense Regina Celi à frente do cortejo. A comandante da vermelha e branca, como sempre festeira, assumiu o pavilhão da agremiação por alguns instante e bailou junto do mestre-sala. Regina enalteceu o Encontro de Carnavais e disse que se tem carnaval, tem Salgueiro.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/casal_sal.jpg- É uma honra para nossa escola estar presente no Encontro de Carnavais. Não importa o lugar nem a hora, se tem carnaval e festa, tem o Acadêmicos do Salgueiro - resumiu a comandante salgueirense.

Quem também estava honrada com o Encontro de Carnavais era a presidente do bloco Imprensa que eu Gamo, um dos mais tradicionais da zona sul carioca, Rita Fernandes, que também preside a Sebastiana, a liga que reúne os principais blocos do centro e da  zona sul. Rita festeja o encontro e torce para que as duas manifestações aconteçam mais vezes.

- Existe uma coisa estranha de que o carnaval das escolas de samba e os blocos são coisas distintas. Lutamos pelo mesmo ideal. A valorização da cultura de nossa cidade e dos sambistas. Estamos muito felizes de trazer para o Parque Madureira, aqui na capital do samba, nosso bloco junto com o Salgueiro, que tem como um de seus intérpretes oficiais o Leonardo Bessa, que também é cantor do nosso bloco. Está tudo em casa - resumiu Rita.

Moradores da região festeja valorização do subúrbio com Encontro de Carnavais

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/baianas_sal.jpgO morador do subúrbio carioca não pode se queixar quando o assunto é rotina de eventos de samba, ainda mais na região de Madureira, terra de nada menos que Império Serrano e Portela. Inicialmente destinado ao Boulevard Olímpico da Orla Conde, o Encontro de Carnavais vai levar ao Parque agremiações que não estão habituadas a passarem por ali, como é o caso do Salgueiro. Para o auxiliar de serviços gerais, Willians Gonçalves, de 34 anos, a mudança foi positiva para os moradores.

- Para a gente que mora aqui em Madureira foi a melhor coisa que aconteceu, porque não precisamos ir lá pra cidade. Moro em Madureira e vim acompanhar hoje porque sou salgueirense. Nasci lá no Morro do Salgueiro, me criei lá, e depois vim para cá. Estou acompanhando a disputa de sambas também - ressaltou.

Paulo Aroeira, de 45 anos, é jornalista e portelense, e ressalta que independente de onde as escolas de samba se apresentem, sempre que ele puder vai marcar presença.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/componentes_sal.jpg- Eu sou portelense mas vim acompanhar porque isso é carnaval, essa união. Sou apaixonado pelo samba. A ideia é maravilhosa, sensacional. Tanto que moro em Vargem Grande, mas fui acompanhar lá na Praça XV o primeiro dia, vim hoje e amanhã (sábado) pretendo vir para acompanhar a minha Portela - garantiu.

A secretária do lar, Maria José, festeja mais um evento grandioso no Parque Madureira, segundo ela, um novo ponto de encontro da boemia no subúrbio carioca.

- Eu estou amando tudo isso, porque esse nosso Parque Madureira é espaço para festa mesmo, e a maior festa do Rio é o carnaval, então trouxeram as escolas para o lugar certo. E ainda por cima juntaram escola com bloco, ou seja, duas marcas do nosso carnaval, o da avenida e o de rua, e com Olimpíada. O que a gente pode querer mais?

Malandro Batuqueiro conquista mais um território carioca

O samba mais popular da safra de 2016 do Grupo Especial conquistou mais um território na Cidade Maravilhosa. A dupla de cantores, Serginho do Porto e Leonardo Bessa, iniciou a apresentação salgueirense com os tradicionais exaltações 'Torrão Amado' e 'Lá vem Salgueiro'. Na sequência entoaram a obra que segue conquistando o coração do carioca. O clássico 'Peguei um Ita Norte', de 1993, também fez parte da apresentação salgueirense.A marchinha 'Cidade Maravilhosa' e o samba de 2016 do bloco Imprensa que eu Gamo também pontuaram a noite, que foi encerrada de maneira apoteótica com todos cantando o samba campeão do Carnaval 2016, da Estação Primeira de Mangueira.

O diretor de carnaval da Liesa, Elmo José dos Santos, se fez presente no encontro e afirmou à Reportagem do CARNAVALESCO que os Jogos Olímpicos Rio 2016 representam para as escolas de samba uma grande vitória.

- Em nome da Liesa eu posso dizer que as escolas de samba agradecem mais uma vez ao prefeito Eduardo Paes e à Riotur pela valorização de nosso carnaval. Tivemos um grande destaque na festa de abertura, temos esse projeto do Encontro de Carnavais, e as escolas estão se apresentando nas arenas em competições oficiais. Só temos o que comemorar - destacou.


FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

Documentário '82 Minutos' é Aplaudido de Pé em Pré Estreia na Quadra da Portela

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18219/falcon%20e%20diretor.jpg
A noite de sexta-feira foi de lançamento na quadra da Portela. O documentário "82 minutos", que é uma fruto de uma parceria do departamento cultural da escola, com o cineasta Nelson Hoineff e sua equipe, estreia apenas na próxima semana nos cinemas do Rio de Janeiro. Porém, os torcedores da azul e branca de Madureira tiveram a oportunidade de assistir com exclusividade em pré-estreia.

Nelson Hoineff, também diretor de "Alô, Alô, Terezinha!", "Caro Francis" e "Cauby - Começaria Tudo Outra Vez", contou ao Site CARNAVALESCO que esteve em outras três grandes agremiações do Rio de Janeiro, mas foi na Portela que encontrou a emoção que precisava.

- Quando nós idealizamos algo na cabeça, vamos até o fim para alcançar. Fui à quadra da Mocidade, São Clemente e Salgueiro, porém foi aqui, na Portela, que achei o entusiasmo necessário. É como quando desejamos tirar uma foto de uma ilha paradisíaca, vamos a uma, duas, três, até achar a que idealizamos. Esse amor do Falcon, a energia e explosão do portelense, quando coloquei o pé aqui não teve jeito. Não que a Portela seja melhor que as outras, mas encontrei exatamente o que precisava para fazer esse filme sobre todo o processo de construção do carnaval.

O diretor declarou que se não fosse a liberdade dada pelo presidente Marcos Falcon, o filme possivelmente não aconteceria.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/diretor%20portela.jpg- Quando o Falcon me perguntou o que precisava, falei sem pensar duas vezes: apenas de liberdade. Expliquei que filmaria coisas que ele e o torcedor gostaria e coisas que talvez não aprovassem. Sem essa liberdade isso não seria possível. Num ambiente jornalístico, onde houvessem limitações, seria impossível imaginar o filme. Isso vale para qualquer obra, se mil pessoas capturarem serão mil filmes diferentes. Cada um possui seu recorte, seu norte e seu objetivo. Esse é um documentário com mais de duas horas de duração, sem entrevistas, com poucas falas, que mergulha em todo universo da construção do grande espetáculo. Seja em ensaio de casal de mestre-sala e porta-bandeira, seja passista, seja bateria. O objetivo inicial era produzir algo como é esse show de apenas 82 minutos, onde não há espaço para erros, que não acontece em lugar nenhum do mundo. Não era exclusivo sobre a Portela, mas a escola acabou cobrindo tudo o que eu imaginava e que estava na minha mente.

No período de filmagens do filme, aconteceu também o episódio envolvendo o jornalista Léo Dias (jornal O DIA) e a agremiação. Um dos momentos mais emocionantes do filme, é o discurso do presidente Falcon após o ocorrido. O diretor conta que essa etapa não poderia ficar de fora, pois demonstra tamanha a emoção vivida pelo torcedor.

- O que me fascinou no evento do Léo Dias foi o entusiasmo do Falcon. Ele fez um discurso efusivo, achei que teria um troço. Discurso de quem realmente ama o que faz e o cargo que ocupa, por isso optei por não remover. Isso faz parte da história, ficamos acompanhando por quase um ano de preparativos e essa irritação também é válida. O que testemunhamos e que na minha mente era relevante para contar a essa preparação da Portela foi inserido.

Outra parte emocionante é o momento da apuração da notas. A equipe do filme se dividiu e presenciou tanto na Praça da Apoteose quanto na quadra. O final não foi como todos gostariam, com título da escola, porém, a emoção tomou conta dos presentes.

- É muito interessante porque fui filmando, sem saber obviamente o resultado final do carnaval. Mas estava torcendo muito para a escola. Nunca imaginei que isso fosse acontecer, mas durante a filmagem me tornei um torcedor de tão irmanado que estava com as pessoas. No momento da apuração eu queria demais o título, mas isso não alterou em nada na montagem do filme. A decepção e tristeza, com pessoas chorando o quinto lugar acabou fazendo parte. Terminamos o filme já com a contratação de novo carnavalesco, e uma nova construção sendo feita para o ano seguinte. Isso que é bonito - finaliza o diretor.

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Mocidade Leva Equipe Completa para o Parque Madureira, mas Clima Não é o Mesmo do Boulevard Olímpico

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18215/casal.jpg 
Não foi a mesma sensação que o primeiro Encontro de Carnavais, realizado na noite de terça-feira, no Boulevard Olímpico, no Centro do Rio, mas a Mocidade Independente de Padre Miguel levou seu time completo para o Parque Madureira, nesta quinta-feira, e fez sua apresentação com o bloco Carmelitas. A escola contou um bom número de componentes da comunidade, bateria, passistas, casal de mestre-sala e porta-bandeira, e todo o talento do intérprete Wander Pires.


http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/wander.jpgApesar da bela estrutura do Parque Madureira, os frequentadores não mostraram o mesmo clima de quem passa pelo Boulevard. Wander Pires comandou o "desfile" da Mocidade pelo Parque Madureira. Cantou "Criador e Criatura", do último título em 1996, além do samba de 99, e da obra de 2016.

Dudu, mestre de bateria da Mocidade, afirmou que tudo ocorreu bem na junção da escola com o bloco 'Carmelitas'.

- É muito bom que haja essa junção entre escola de samba e bloco. Fiquei feliz por estarmos tocando na terra do samba, em Madureira. Nós não sabíamos que a apresentação seria assim, achávamos que era num palco, apresentação solo da escola. Mas deu tudo certo, mesmo sem ensaio, foi m

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/carmelitas.jpgUm dos organizadores do 'Encontro de Carnavais', Pretinho da Serrinha, está confiante que no fim de semana o público presente ao Parque Madureira será ainda maior.

- Esse encontro é muito importante para o público, a escola vem bem organizada, e o bloco com aquela coisa mais descompromissada. Fazem uma integração muito bacana. Já que ambas dificilmente se encontram. Essa é a oportunidade de juntar isso tudo e fazer essa festa. Nós tentamos fazer isso no Boulevard Olímpico, porém, infelizmente, não deu muito certo. Na hora que ficou todo mundo na praça foi confuso e o primeiro dia foi uma espécie de teste. Aqui foi nossa opção. Imagine isso aqui no final de semana? Também vai ficar pequeno, como foi no Boulevard. Não esperávamos tanta gente no primeiro dia e já foi um sucesso. A Praça Mauá não suportaria uma Mangueira, por exemplo - disse.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/passistas.jpgPasseando no Parque Madureira com os filhos, Jussara Pires aproveitou para prestigiar a apresentação da Mocidade.

- Gostei muito de ver a apresentação da escola aqui em Madureira, apesar de não ser torcedora da Mocidade vim prestigiar porque gosto do Carnaval - comentou.

Ainda nessa semana, passarão pelo Parque Madureira:
12/ago (sexta) – SALGUEIRO E IMPRENSA QUE EU GAMO
13/ago (sábado) – PORTELA E BOLA PRETA
14/ago (domingo) - SÃO CLEMENTE E A ROCHA

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

Exposição 100 Anos do Samba está em Cartaz no Museu do Samba

Exposição 100 anos do Samba está em cartaz no Museu do Samba
* Roda de samba celebra abertura da mostra.
* Programação faz parte do Circuito Cultural Rio.
* Objetos raros de Cartola, Zé Ketti e Silas de Oliveira integram a instalação.

Com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro, e apoio de Casas Bahia, da Ford Foundation e da Contemporânea Instrumentos Musicais, a exposição “100 Anos do Samba” está em cartaz no Museu do Samba, de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. A programação faz parte do Circuito Cultural Rio e tem entrada gratuita com o Passaporte Cultural Rio. Sem o passaporte, a entrada custa R$ 10,00 para estrangeiros e R$ 5,00 para brasileiros. O Museu do Samba fica na Rua Visconde de Niterói, 1296, em Mangueira, na região do entorno do Maracanã, Zona Norte da cidade. Para celebrar a nova programação, o Museu do Samba promove, nesta sexta-feira, 12 de agosto, o Sarau do Samba, sua tradicional roda mensal de samba de raiz.

A exposição “100 anos do Samba” conduz o visitante pela história e atmosfera do mais genuíno dos gêneros musicais do Brasil. Os ambientes são ilustrados por pinturas de arte alusivas a épocas e localidades como a Pequena África de Tia Ciata, o Estácio do início do século XX, a Pedra do Sal e o Morro da Serrinha.

O público tem acesso a objetos raros, como o violão usado por Cartola para compor, a carteira original de filiação (número 01) de Silas de Oliveira à ala de compositores do Império Serrano e um terno de Zé Ketti. Dois instrumentos musicais criados por sambistas também ganham destaque na instalação: O repique de mão, invenção de Ubirany, do Cacique de Ramos, e o agogô de dez bocas, inovação de Ciro do Agogô.

Indumentárias usadas em desfiles na Sapucaí por personalidades como Dodô da Portela, Aluísio Machado, Dona Ivone Lara e Tia Glorinha do Salgueiro, um figurino da carnavalesca Rosa Magalhães, um croqui de Fernando Pamplona e um pandeiro de Bira Presidente, do Cacique de Ramos, entre outras peças do acervo de grandes nomes do samba e do carnaval, também estão expostos.

Além de contextualizar histórica e geograficamente a trajetória do gênero, a mostra “100 Anos do Samba” homenageia e coloca como protagonistas do centenário os sambistas dos terreiros, rodas e escolas de samba do Rio. Na instalação “A força feminina do samba”, 19 mulheres tiveram seus rostos (e sorrisos) estampados em pandeiros. Entre as damas retratadas estão Dona Ivone Lara, Alcione, Beth Carvalho, Dona Neuma, Tia Nilda, Tia Surica e Selminha Sorriso. Em pinturas em dois grandes painéis, Dona Zica e Neguinho da Beija-flor também ganharam homenagens.

Na parte dedicada às agremiações carnavalescas e rodas de samba, a exposição apresenta os setores intitulados “Celeiro de bambas” e “A importância das escolas de samba”. No primeiro, são apresentados o Cacique de Ramos, o Bafo da Onça, Pagode da Tia Doca, Pagode do Candongueiro e o Clube Renascença.

Agremiações pioneiras, Estácio de Sá, Império Serrano, Mangueira, Portela, Salgueiro e Vila Isabel são destacadas na mostra. Vídeos de alguns de seus desfiles serão exibidos no setor Mapa do Rio de Janeiro, que situa, em um gigantesco mapa do estado, a localização de 72 escolas de samba, 17 rodas de samba e 11 locais de referência, entre eles Pedra do Sal, Morro da Favela, Praça Onze, Igreja da Penha, Sambódromo, Cidade do Samba, Avenida Presidente Vargas e Museu do Samba.

CIRCUITO CULTURAL RIO – Idealizado pela Prefeitura do Rio, o Circuito Cultural Rio conta com mais de 700 atrações, selecionadas e patrocinadas por meio dos editais da Secretaria Municipal de Cultura, que serão apresentadas em mais de 100 espaços culturais espalhados por toda a Cidade, além dos eventos que acontecem ao ar livre. Com peças de teatro, exposições, shows, espetáculos de dança, atrações circenses, eventos de gastronomia, manifestações de rua, saraus, bailes e afins, o Circuito Cultural Rio vai possibilitar uma experiência integral da diversidade cultural carioca.

Serviço:
Exposição 100 Anos do Samba
Local: Museu do Samba
Endereço: Rua Visconde de Niterói 1296 – Mangueira
Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 10h às 17h
Entrada: R$ 10,00 (estrangeiros); R$ 5,00 (brasileiros)
Grátis com Passaporte Cultural Rio
E-mail: contato@museudosamba.org.br
Classificação: Livre
Informações: (21) 3234-5777

Sarau do Samba
Data: 12 de agosto de 2016 (sexta-feira)
Horário: 19h
Entrada: GRÁTIS com Passaporte Cultural Rio
e para quem estiver na exposição “100 Anos do Samba”
R$ 10,00 (sem o passaporte ou para quem chegar só para a roda de samba)
E-mail: contato@museudosamba.org.br
Classificação: 16 anos
Informações: (21) 3234-5777

Continue Lendo...

Nova Liga Promete Valorizar e Administrar o Desfile dos Blocos de Rua

Nova liga promete valorizar e administrar o desfile dos blocos de rua
A LIBRERJ – Liga Independente dos Blocos de Rua do Estado do Rio de Janeiro, foi criada com a finalidade de contribuir para a preservação do tradicional Carnaval de Rua do Estado do Rio de Janeiro. A entidade através do presidente Josimar Viana, tem como proposta trazer inúmeros benefícios para os filiados e seu público, que são os principais diferenciais na maior festa popular de rua do Brasil e do mundo.

http://www.carnavalcarioca.net.br/wp-content/uploads/2016/08/005753-librerj.jpgNo próximo dia 9 de setembro, no auditório vip do Mercadão de Madureira, será servido um almoço para convidados e a realização de posse da diretoria. Representantes dos órgãos públicos e privados e do mundo do samba estarão presentes na cerimônia.

Os objetivos principais são: Unir-se aos representantes dos blocos já tradicionais e de novas agremiações, a fim de discutir ideias de infra-estrutura diretamente relacionadas ao desfile oficial e ser o elo de ligação entre os órgãos públicos responsáveis pela organização do Carnaval Carioca.

A missão é resgatar e preservar a cultura dos Blocos de Rua que aos poucos vem se perdendo com o passar dos anos. E assim, criar uma competição íntegra e de bom gosto à todos. A diretoria promete buscar parcerias com empresas públicas e privadas, como representante dos blocos filiados, para que os mesmos tenham condições dignas de fazer um belíssimo espetáculo.

Continue Lendo...

Internautas Não Aprovam Transferência do Encontro de Carnavais para o Parque Madureira

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18209/encontro.jpg
Não é contra o belo Parque Madureira, mas os internautas querem que o projeto Encontro de Carnavais continue sendo realizado no Boulevard Olímpico, no Centro do Rio, como aconteceu na terça-feira, e foi um grande sucesso com o Paraíso do Tuiuti e Estravos da Mauá. Na tarde de quarta-feira, a prefeitura do Rio informou que a partir desta quinta-feira o Encontro será realizado em Madureira, porque "o sucesso da atração somado ao alto fluxo constante que o Boulevard na zona portuária vem recebendo gerou um acréscimo significativo de pessoas. Por isso, a produção e a Prefeitura decidiram pela mudança visando o maior conforto do público".
 
A publicação da notícia na página do Site CARNAVALESCO no Facebook gerou muitos comentários e a maioria de pessoas decepcionadas com a alteração.
 
FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Paraíso do Tuiuti e Escravos da Mauá Transformam Centro em um Carnaval Fora de Época

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18201/bateria.jpg
Quem passou na noite desta terça-feira pela Praça Quinze, no Centro do Rio, foi pego de surpresa e presenciou um encontro memorável: de um lado, vindo da Praça Marechal Âncora, o bloco de carnaval Escravos da Mauá, filhos legítimos daquela região, arrastando foliões num carnaval fora de época em plena Olimpíada. De outro lado, saindo da Esplanada da Candelária, a escola de samba Paraíso do Tuiuti, que já nos primeiro repiques despertou a atenção dos curiosos que estavam aos pés da Pira Olímpica, na Orla Conde, assistindo as competições Olímpicas, mas que não resistiram à festa e seguiram a bateria como num grande carnaval de rua. O encontro entre bloco e escola foi o ápice da festa que alegrou cariocas que contam os dias de verem sua escola brilhar na Sapucaí, e turistas que não conhecem nosso carnaval, mas sentiram um gostinho da beleza dessa festa.


Acostumada ao frio da Rússia, que contagia inclusive a relação entre as pessoas, que são bem menos calorosas se comparadas aos brasileiros, a turista russa Tatiana Ponomareva era só alegria. Não conhecia o nosso carnaval, não sabia sambar, mas foi contagiada pela festa, refletida na sua tentativa de arriscar uns passinhos de samba e no seu sorriso estampado no rosto. Ela compartilhou com o CARNAVALESCO a emoção que sentiu.

- Isso aqui é maravilhoso. Virei fã. Amei o som, a dança. Isso aqui é muito divertido - disse.
http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/equipe.jpg
A mesma emoção contagiou a japonesa Yoko, que apesar da timidez, foi contagiada pelo som da bateria e o samba no pé das passistas.

- Eu me assustei com o barulho, mas depois me apaixonei e vim atrás. Que alegres vocês são. Que bonito tudo isso. Como elas dançam bonito - disse Yoko, tentando um passos inspirada nas passistas que estavam a sua frente.

Nem aqueles que já estão mais acostumados com o carnaval ficaram alheios a esse encontro. Camilo Neto, mesmo com o seu terno destoando do figurino do carnaval fora de época em plena Praça Quinze, vibrou com a festa. Ao CARNAVALESCO, ele compartilhou a alegria do que presenciou.

- Eu sou de Tupaciguara, interior de Minas Gerais, e moro no Rio de Janeiro há 1 ano e meio. Eu achei isso aqui muito interessante, principalmente porque é uma oportunidade de divulgar a nossa cultura para outros países e, mais do que isso, reúne a alegria do nosso povo aqui, e nós e os turistas gostamos. Veja que eu, que nunca passei carnaval no Rio, fiquei muito interessado e parei aqui para ver, imagina para as pessoas que são de outros países. Eu estudo na UFF, que tem uma bateria universitária chamada Sarra Brava, que existe desde 1997 e a gente toca em vários eventos, e a nossa bateria tem sax e guitarra que não são comuns numa bateria. Achei incrível isso aqui. Com certeza eu vou reunir a turma amanhã (quarta) e vamos vir prestigiar os outros encontros - contou.

Sambas do Tuiuti ecoam no Boulevard Olímpico

O Paraíso do Tuiuti apresentou seus sambas marcantes, como o samba enredo de 2016, que levou a escola para o Grupo Especial (A Farra do Boi), o samba inesquecível de 2001 ("Tu és meu sonho, Tuiuti). Os componentes também cantaram junto com os Escravos da Mauá, sucessos como "Cidade Maravilhosa", "Lenda das Sereias", e o samba da Ilha "É Hoje", acompanhados pelo coro que se formou na Praça Quinze pelo povo que acompanhava a festa.

Tuiuti em êxtase pela abertura dos Jogos Olímpicos

O encontro entre o bloco e a escola deixou todos emocionados. Os dois lados não pouparam esforços: o Escravos veio em peso, com seu casal de mestre-sala e porta-bandeira à frente do bloco. O Tuiuti levou casais de mestre-sala e porta-bandeira, ala de baianas, passistas. A iniciativa foi da prefeitura do Rio e da Riotur. Presente no evento, o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, em conversa com o CARNAVALESCO, elogiou muito a ideia de se promover o Encontro dos Carnavais.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/corte.jpg- Esse projeto veio da Riotur, com o grande apoio do secretário Antônio Pedro, e é brilhante essa ideia porque a origem das baterias é a mesma, e isso engrandece a festa e alegra aqueles que estão aqui no Boulevard, sem falar que as escolas ainda se apresentam nas arenas, para que elas possam mostrar a nossa cultura especialmente para os turistas que estão aqui vendo os Jogos.

Mas quando o assunto é emoção, os integrantes do Tuiuti lembram de um momento que ficará para sempre na memória: a participação deles na abertura dos Jogos Olímpicos 2016. Felizes com o Encontro de Carnavais, eles também queriam compartilhar o estado de êxtase em que ainda se encontravam pela abertura na sexta-feira das Olimpíadas. A porta-bandeira Giovanna Justo foi uma das felizardas que participaram dessa festa.

- Foi um momento único. Quando entrei no Maracanã com meu mestre-sala Marquinhos, representando a Tuiuti e o samba, só de lembrar, eu fico toda arrepiada. Até hoje eu não acredito que eu fiz parte disso, é inesquecível, um momento para guardar para sempre na memória.

http://www.carnavalesco.com.br/sistema/imagens/images/carnavalesco/geral/18194/wantuir.jpgO mestre de bateria Ricardinho também se lembra com muita alegria daquela noite que, nas palavras dele, foi "incrível".

- Foi muito legal, sensacional, surpreendeu até a gente que participou dos ensaios, porque a gente não imaginava que seria tão bonito. Foi a cara do Brasil, bem tropical, com as nossas músicas. Foi a nossa cara.

Para aqueles que não puderam na estreia, ou mesmo os que foram e querem sentir de novo essa emoção, a semana inteira terá novos Encontros dos Carnavais. Veja a programação:

Local: Praça XV e horário dos shows: das 18h às 20h
10/ago (quarta) – Imperatriz e Me Esquece
11/ago (quinta) – Salgueiro e Imprensa que eu Gamo
12/ago (sexta) – Mocidade Independente e Carmelitas
13/ago (sábado) – Portela e Bola Preta
14/ago (domingo) – São Clemente e A ROCHA
16/ago (terça) – Vila Isabel e TIMONEIROS DA VIOLA
17/ago (quarta) – Grande Rio e Barbas
18/ago (quinta) – Unidos da Tijuca e Suvaco do Cristo
19/ago (sexta) – União da Ilha e Desliga da Justiça
20/ago (sábado) – Beija-Flor e Simpatia é Quase Amor
21/ago (domingo) – Mangueira e CORDÃO DO BOITATÁ

FONTE: CARNAVALESCO
Continue Lendo...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...